Os livros de imagens

10/07/2018

Livros de imagens, sem texto escrito. Que livros podem ser bons para apresentar esse universo às crianças?

Muitos têm a ideia de que livros sem texto escrito são para crianças que ainda não leem. Mero preconceito e desconhecimento desse universo de livros só de imagens. Os livros sem texto escrito – só com imagens – propiciam experiências estéticas distintas e, quando de qualidade, são apreciados por leitores que buscam interpretações em suas diferentes camadas.

Explicitamos que é sem texto escrito, pois também nela há um texto. Mas diferente daquele a ser lido atribuindo sentido a partir da conexão entre as palavras escritas, as imagens contam a história abrindo espaço para as palavras do leitor. Há diversas palavras e formas de interpretar essas imagens.

Ao contrário do que se pode supor, quando as imagens compõem um livro permitem imaginar em vez de limitar. O uso das imagens para informar e contar histórias vem de longa data. Na Idade Média, por exemplo, as ilustrações narram acontecimentos nas paredes das igrejas, dando condições aos analfabetos de “lerem” o calvário de Cristo. Atualmente, a produção de literatura infantil em diferentes formatos e mídias tem contribuído para a discussão sobre novos referenciais acerca da leitura literária para crianças e jovens.

As transformações pela quais o objeto livro vem passando dão margem a novos gêneros e novos modos de operar com a realidade ficcional. O livro de imagens (ou livro-imagem) é um desses gêneros; não significa uma coleção de imagens num livro, como um álbum de fotografias ou um catálogo de exposição de artes visuais. No contexto da literatura infantil, e incluindo o adulto como um leitor em potencial desse gênero, o livro de imagens explora recursos visuais e características particulares da imagem, acrescidos, por vezes, do recurso verbal.  Um bom exemplo são os “livros de artistas” que tratam a imagem de uma forma complexa, com carga semântica e múltiplos sentidos, abrindo possibilidades para a experiência estética e literária.

Define-se, então, livro-imagem como um livro com imagens em sequência e que conta uma história, geralmente selecionando uma situação, um enredo e poucos personagens. Constitui-se como uma narrativa visual, que aproxima duas condições básicas para sua realização: a dimensão temporal (sequência linear das imagens) e a dimensão espacial (a lógica de organização espacial dos elementos que compõem as imagens). A possibilidade de o livro de imagens poder contar uma história, de penetrar no mundo do encantamento, faz o tempo do real e da magia conviverem, por exemplo, na mesma página, podendo alterar a lógica temporal e espacial, tudo isso apenas através das imagens. Os códigos imagéticos (como as cores, o traço, o volume, a posição dos objetos na página, entre outros) dão destaque à narrativa, por isso é que se diz que podemos “ler imagens”. E essa leitura não precisa ser simplificada, presa apenas ao enredo, porque a imagem não diz tudo, como alguns ainda pensam. Ela não é somente descritiva, colada à realidade exterior, usada como uma referência da existência dos objetos, mas semanticamente enriquecida para dar às condições de leitura um tempo de reflexão, um espaço de maturação de sentidos. O livro de imagens não precisa explicitar todos os sentidos, mas convida, com seus implícitos e suas metáforas visuais, o leitor a pensar, confiando na sua capacidade leitora.

A produção contemporânea tem mostrado uma tal sofisticação, cuidado e complexidade na elaboração dessas narrativas visuais, que vem chamando a atenção de jovens e adultos, constituindo um outro grupo de ávidos leitores de livros de imagens. Nada mais propício do que aproveitar essa produção, não só para iniciar o contato das crianças não alfabetizadas com o mundo da representação ficcional, como também para agregar leitores jovens e adultos ao mundo da literatura.

 

Fonte do texto: www.labedu.org.br  e www.ceale.fae.ufmg.br

Livro: O VENTO

Autor do livro: Rui de Oliveira

Link do livro: https://editoradcl.com.br/livro/lata-meu-malvado-favorito/

 

 

 

 

 

 

Outros Artigos

20º Salão da FNLIJ

27/07/2018

Como ajudar crianças que têm medo de dentista

10/07/2018

É pra ler ou brincar?

08/06/2018

Editora DCL

Ótima escolha. Ótima leitura.

NOVO ENDEREÇO

Avenida Marques de São Vicente, 1619
26º Andar, Conj. 2612

Barra FundaSão PauloSP

CEP: 01139-003

 (11) 3932-5222

Este site foi desenvolvido pela Soyuz