Pressão
A pressão de um gás ocorre devido aos choques das suas moléculas contra as paredes do recipiente. Cada molécula do gás, ao chocar-se com a parede do recipiente, exerce sobre ela uma força. Usualmente, a pressão de um gás é medida em atmosfera (atm) e milímetros de mercúrio (mmHg).
 
Temperatura
A temperatura mostra-nos o estado de agitação das partículas do gás. Quanto maior a agitação das moléculas, maior é a temperatura. Quando não existe agitação das moléculas, a temperatura é zero (nula); tal temperatura nunca foi atingida e é denominada Zero Absoluto.
Vemos que o zero absoluto corresponde à temperatura de -273°C, e sua unidade é denominada Kelvin.
 
Volume
O volume de um gás é o volume do recipiente que o contém. Usualmente, o volume de um gás é medido em litros (L), metros cúbicos (m3) e seus submúltiplos.
 
LEI DE BOYLE E MARIOTTE
Em uma transformação gasosa, na qual a massa é fixa e a temperatura se mantém constante, a pressão é inversamente proporcional ao volume ocupado pelo gás. A transformação gasosa em que a temperatura é mantida é constante e a pressão e o volume variam. Esse tipo de transformação é denominado transformação isotérmica.
Quando um gás é aquecido sob pressão constante, seu volume aumenta, e quando é aquecido sob volume constante, sua pressão aumenta.
Variações são linhas retas; portanto, numa massa fixa de um gás a volume constante, a pressão varia linearmente com a temperatura. E, à pressão constante, o volume varia linearmente com a temperatura.
Os volumes ocupados por uma massa gasosa sob pressão constante são diretamente proporcionais às temperaturas absolutas do gás.
As pressões de uma massa gasosa a volume constante são diretamente proporcionais às temperaturas absolutas do gás.
 
VOLUME CONSTANTE 
Transformações isobáricas são aquelas nas quais a pressão do gás permanece constante; e transformações isocóricas ou isométricas ou isovolumétricas são aquelas nas quais o volume do gás permanece constante.
 
Equação de estado do gás ideal 
Dá-se por
 
Equação de Clapeyron
O volume ocupado por um mol de gás à temperatura de 0°C e pressão de 1 atm é 22,4 litros.
 
Mistura de gases
É importante observar que as relações que estudamos até aqui são válidas para um único tipo de gás e igualmente válidas para uma mistura gasosa.
LEI DE DALTON
 
O volume parcial de um gás em uma mistura gasosa é o volume que esse gás ocuparia se sozinho suportasse toda a pressão da mistura, à mesma temperatura dela.
 
LEI DE AMAGAT 
A equação de Clapeyron também é válida para uma mistura gasosa. A relação entre a pressão parcial de um gás numa mistura e a pressão total da mistura gasosa é igual à sua fração molar na mistura. A relação entre o volume parcial de um gás numa mistura gasosa e o volume total da mistura gasosa é igual à sua fração molar na mistura.
 
DENSIDADE RELATIVA
Define-se densidade relativa de uma substância A em relação a outra substância B como a relação entre a densidade absoluta de A (dA) e a densidade absoluta de B (dB) na mesma temperatura e pressão.
 
Lei de Graham
Abarca a difusão e efusão gasosas. A difusão ocorre quando dois ou mais gases misturam-se formando soluções gasosas. Denomina-se efusão a passagem de um gás através de pequenos orifícios. Sabemos que, numa mesma pressão e temperatura, a relação entre as densidades de dois gases é igual à relação entre suas massas moleculares. Portanto, quanto menor for a massa molar do gás, maior será sua velocidade de difusão e efusão.
 
RESUMINDO A TEORIA CINÉTICA DOS GASES
Não existem forças de atração entre as moléculas. Moléculas colidem umas com as outras e com as paredes do recipiente. As colisões são perfeitamente elásticas. A energia cinética média de um gás é diretamente proporcional à temperatura absoluta.
Para cada temperatura, tem-se uma única velocidade média das moléculas do gás.
Na representação gráfica das velocidades das moléculas em função dos números de moléculas que têm as referidas velocidades, obtém-se uma curva denominada Curva de Gauss.
 
Equação de Van Der Walls
Denominamos gás ideal ou gás perfeito aquele que obedece às Leis de Boyle, Charles e Gay-Lussac, etc.
O verdadeiro volume do gás é o volume do recipiente (V) menos o volume ocupado pelas moléculas do gás.
A verdadeira pressão do gás é igual à pressão exercida pelas colisões das moléculas contra as paredes do recipiente somada à pressão exercida pelas colisões das moléculas entre si.
Van Der Waals introduziu dois termos na equação de Clapeyron; essa equação corrigida é denominada Equação de Van Der Waals.