Análise sintática do período composto
Período composto é o que encerra duas ou mais orações. Pode ser constituído de diferentes modos:

 
Período composto por coordenação: é formado por orações independentes umas das outras que simplesmente se justapõem ou que se ligam umas às outras (por meio de uma conjunção coordenativa), sem função sintática (são orações autônomas, cada uma com seu sentido próprio).
As orações coordenadas podem ser:

  1. A) assindéticas: não são introduzidas por uma conjunção coordenativa (são justapostas); e

 

  1. B) sindéticas: introduzidas por conjunção coordenativa (conectivos oracionais).

 
PRINCIPAIS CONJUNÇÕES E LOCUÇÕES ADITIVAS
Adversativa
Expressa a ideia de contrariedade, adversidade.
 
Alternativa
Expressa ideias alternadas.
 
Principais conjunções alternativas
Aparecem repetidas
Conclusiva
A segunda oração coordenada expressa uma conclusão (lógica) da primeira.
 
PRINCIPAIS CONJUNÇÕES E LOCUÇÕES CONCLUSIVAS: “portanto”, “por isso”, “pois” (após o verbo), “logo”, “consequentemente”, “de modo que”, “em vista disso”, “por conseguinte”.
 
Explicativa
A segunda oração coordenada exprime uma explicação sobre a primeira.
PRINCIPAIS CONJUNÇÕES E LOCUÇÕES EXPLICATIVAS: “pois” (antes do verbo), “porque”, “que”, “porquanto”, “isto é”, “demais”, “ademais”, “pois bem”.
 
Observação importante: as orações coordenadas não têm formas reduzidas.
 
Período composto por subordinação: é formado por uma oração principal (que contém a principal informação e não tem função sintática) e uma oração a ela ligada e que completa seu sentido (oração subordinada).
 
As orações subordinadas podem exercer (em relação a uma outra oração) a função sintática de substantivo, adjetivo ou advérbio. De acordo com a função sintática desempenhada, a oração subordinada pode ser substantiva, adjetiva ou adverbial.
ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS
Exercem a função de um substantivo, que pode ser: sujeito, objeto direto, objeto indireto, predicativo, complemento nominal, aposto ou agente da passiva (em relação a um termo da oração principal ou à própria oração principal). Normalmente são introduzidas pela conjunção integrante “que” (ou “se”) e classificam-se de acordo com a função sintática que desempenham:
 

  1. A) oração subordinada subjetiva: tem a função sintática de sujeito da oração principal;

 

  1. B) oração subordinada objetiva direta: tem a função sintática de objeto direto do verbo da oração principal;

 

  1. C) oração subordinada objetiva indireta: tem a função sintática de objeto indireto do verbo da oração principal;

 

  1. D) oração subordinada completiva nominal: tem a função sintática de complemento nominal de um dos termos da oração principal;

 

  1. E) oração subordinada predicativa: tem a função sintática de predicativo do sujeito da oração principal;

 

  1. F) oração subordinada apositiva: tem a função sintática de aposto de um dos termos da oração principal;
  1. G) oração subordinada agente da passiva: tem a função sintática de agente da passiva da oração principal.

 
ORAÇÕES SUBORDINADAS ADJETIVAS
Exercem a função de adjunto adnominal de um termo da oração (funcionam como um adjetivo). São introduzidas por um pronome relativo (geralmente que ou qual, quem, cujo, etc.). São classificadas como:
 

  1. A) restritivas: oração que restringe ou delimita o sentido do termo ao qual se refere; e

 

  1. B) explicativas: oração que acrescenta uma qualidade ao termo a que se refere, mas que não o restringe. Sua função é de reforço, e não é absolutamente necessária para a compreensão do sentido.

 
A oração subordinada adjetiva explicativa aparece sempre isolada da oração principal por vírgulas.
 
ORAÇÕES SUBORDINADAS ADVERBIAIS
 
Exercem a função de adjunto adverbial de um termo da oração principal, expressando ideias (circunstâncias) a esse termo. Ligam-se à oração principal por meio de conjunções subordinativas.
De acordo com a circunstância que confere à oração principal, a oração subordinada adverbial pode ser:

  1. A) causal: expressa a causa da afirmação contida na oração principal;

 

  1. B) condicional: expressa uma condição ou uma hipótese para a ocorrência da oração principal;

 

  1. C) concessiva: expressa uma ideia de oposição à oração principal;

 

  1. D) conformativa: expressa uma ideia de conformidade entre as orações;

 

  1. E) temporal: expressa uma circunstância de tempo em relação à oração principal;

 

  1. F) final: expressa a finalidade da ocorrência da oração principal;
  1. G) consecutiva: expressa a consequência da ocorrência da oração principal;

 

  1. H) comparativa: expressa uma comparação entre as duas orações; e

 

  1. I) proporcional: expressa um fato proporcional à ocorrência da oração principal.

 
Período misto
É um período composto por coordenação e por subordinação (constituído de duas ou mais orações) e em que aparecem a oração principal, orações coordenadas (independentes) e orações subordinadas.
 
ORAÇÕES SUBORDINADAS REDUZIDAS
São as orações que se apresentam com o verbo no infinitivo, no gerúndio ou no particípio (formas nominais). Não se iniciam nem por conjunções subordinativas nem por pronomes relativos. Podem ser: