Também chamado de Reino Metazoa ou Animal, agrupa organismos heterótrofos, pluricelulares, que possuem, geralmente, tecidos bem definidos.
Uma classificação mais grosseira divide os animais em dois grandes grupos: os vertebrados e os invertebrados, levando em consideração a presença ou não de vértebras.
 
INVERTEBRADOS
Animais desprovidos de coluna vertebral e, consequentemente, sem esqueleto interno.
Os protozoários, ouriços-do-mar, corais, vermes, gafanhotos e mosquitos, bem como as traças, estrelas-do-mar, borboletas e ostras são exemplos de invertebrados.
 
PORÍFEROS
São animais sésseis (fixos), de forma variada, assimétrica ou com simetria radiada. As paredes de seu corpo apresentam numerosos poros. Não reagem a estímulos e não se movimentam.
Não apresentam sistema digestivo, excretor, respiratório, circulatório e nervos. A digestão é exclusivamente intracelular (coanócitos).
A reprodução é assexuada (brotamento, regeneração) e sexuada, produzindo uma larva ciliada (anfiblástula).
Importância
As esponjas são utilizadas há séculos pelo homem no polimento e asseio pessoal; são, também, indicadoras da qualidade ambiental, uma vez que vivem em ambientes restritos.
 
CNIDÁRIOS
Os primeiros animais de tecidos organizados (histozoários) na escala de evolução são os cnidários ou celenterados, que apresentam simetria radial.
São aquáticos, de água doce ou marinhos.
Esses animais possuem duas formas diferentes, uma fixa ou com movimentos bem lentos, que vivem no fundo do mar, os pólipos, e outra livre e muito móvel, que são as medusas.
Nesse grupo de animais, é comum a alternância de gerações (metagênese), semelhante às briófitas, sendo uma geração polipoide, que se reproduz assexuadamente, originando organismos sexuados medusoides.
 
PLATELMINTOS
Denominados vermes achatados, caracterizam-se por possuir o corpo achatado dorsoventralmente, possuem simetria bilateral e apresentam um começo de cefalização.
Dividem-se em três classes: tubelários, trematódeos e cestoides.
A boca origina-se do blastóporo, sendo, portanto, animais protostômios. Por não possuírem uma cavidade na qual se alojem os órgãos, são denominados acelomados.
A planária, por exemplo, apresenta um par de ocelos na cabeça capaz de perceber apenas o vulto das coisas e um tubo digestório incompleto ramificado por toda a extensão do corpo.
As planárias são hermafroditas denominadas monoicas.
Os platelmintos são parasitas de extrema importância patológica, uma vez que infestam vários hospedeiros, onde completam seu ciclo reprodutivo.
Em muitos casos, esses ciclos incluem o homem como hospedeiro, como, Schistosoma mansoni, causador da esquistossomose; Taenia solium e Taenia saginata, causadores da teníase e da cisticercose.
 
NEMATELMINTOS OU ASQUELMINTOS
Os nematelmintos são animais que apresentam o corpo longo e cilíndrico, afilado nas extremidades e simetria bilateral. São de vida livre ou parasitas de animais e plantas; os de vida livre são de ambientes aquáticos ou terrestres úmidos.
Os parasitas de vegetais têm uma importância econômica destacada, uma vez que podem prejudicar profundamente a produção agrícola de uma região.
Seu combate é uma constante, pois espécies diferentes atacam desde a raiz até as folhas das plantas, e grandes quantidades de pesticidas são utilizadas, aumentando os custos de produção.
 
DOENÇAS CAUSADAS POR PARASITAS (VERMES)
Esquistossomose ou barriga d’água: parasitose endêmica grave, causada pelo verme Schistosoma mansoni, que ocupa, principalmente, os vasos que ligam o intestino ao fígado.
A contaminação é feita através da pele, pela penetração de larvas. Nas fezes de um indivíduo contaminado, podem ser encontrados milhares de ovos.
O saneamento básico é uma medida indispensável para evitar a contaminação.
Teníase: a tênia ou solitária é o maior parasita que pode habitar o intestino humano, chegando a vários metros de comprimento, ficando dobrado no intestino.
Há a Taenia saginata (o boi é hospedeiro intermediário) e a Taenia solium (o porco é hospedeiro intermediário), sendo a saginata maior que a solium. A contaminação se dá pela ingestão de carne de boi ou de porco contaminada com cisticerco (larva que se aloja na musculatura do animal). A prevenção é feita pela fiscalização de matadouros e pelo cozimento adequado de carnes. O homem pode infectar-se com os ovos do parasita, nesse caso, os ovos evoluem para cisticercos que entram na circulação, indo alojar-se no cérebro ou em outros órgãos vitais, podendo originar grandes lesões, tumores e, muitas vezes, levando o indivíduo à morte.
Ascaridíase: doença causada pelo parasita nematódeo Ascaris lumbricoides, conhecido como lombriga. O homem adquire a ascaridíase ao ingerir ovos de lombriga em verduras mal lavadas e água contaminada. A prevenção é feita mediante o tratamento da água e dos esgotos e pelos cuidados de higiene com verduras cruas.

Se as fezes forem depositadas em local inadequado, podem contaminar o solo, dando origem a larvas; estas, livres, poderão penetrar no corpo humano através da pele, geralmente pelos pés. Entrando na circulação sanguínea, serão conduzidas até o intestino, onde se tornarão adultas, reiniciando o ciclo. A prevenção é feita mediante o tratamento de esgoto, do uso de calçados e do uso correto de sanitários.
Oxiuríase ou enterobiose: parasitose causada pelo verme Oxyuris vermicularis que vive no intestino humano e provoca cólicas e disenterias.
Filariose ou elefantíase: inflamação dos vasos linfáticos provocada por filárias, nome vulgar dado à Wuchereria bancrofti.
A contaminação do homem se dá pela picada do mosquito do gênero Culex, que transmite larvas de filárias.
A prevenção é feita por meio do combate ao inseto vetor e do isolamento e tratamento das pessoas doentes.
Essa parasitose é comum na região amazônica.
 
ANELÍDEOS
Animais que apresentam corpo alongado e cilíndrico, composto por vários segmentos em forma de anel e separados internamente por septos denominados metâmeros O sistema digestório é completo. São de vida livre ou sésseis (fixos); ocupam os ambientes aquáticos (marinho e de água doce) e terrestre.
O sistema circulatório dos anelídeos é fechado.
Locomovem-se por peristaltismo, que é transmitido como uma onda de contração muscular através dos metâmeros, atualmente utilizados, entre outros métodos, para a recuperação de solos desgastados.
O corpo destes animais é mole e dividido em cabeça, pé muscular, massa visceral (onde se encontram os órgãos) e manto, que reveste a massa visceral e secreta, geralmente, uma concha calcária com a função de protegê-los e fornecer-lhes sustentação.
De ampla distribuição, ocupam ambientes aquáticos (marinhos e água doce) e terrestres. Exemplos: lulas, polvos, lesmas.
São animais triblásticos e celomados.
O sistema digestório é completo e apresenta uma glândula anexa, que é o fígado. O sistema circulatório é geralmente aberto. Possuem aparelho reprodutor masculino e feminino.
A respiração pode ser branquial, nos aquáticos, ou “pulmonar”, nos terrestres.
Importância
Alguns são fonte de alimentação para o homem, outros, como o caramujo Planorbis, é hospedeiro intermediário do verme causador da barriga-d’água.
 
ARTRÓPODES
Os artrópodes constituem o grupo mais numeroso do reino animal, com mais de um milhão de espécies, que conseguiram grandes progressos evolutivos.
Possuem o sistema digestivo completo, inclusive com glândulas salivares, e sistema circulatório aberto.
As principais classes de artrópodes correspondem aos insetos, aos crustáceos e aos aracnídeos.
 
INSETOS
O corpo dos insetos é dividido em cabeça, tórax e abdome.
Na cabeça, há um par de antenas, um par de olhos e um gânglio cerebroide. No tórax, articulam-se três pares de patas e um ou dois pares de asas.
Ocupam os mais variados ambientes e podem ser terrestres, de água doce ou aéreos.
Têm o sistema digestório é completo.
A respiração é realizada pelas traqueias (tubos), orifícios de abertura e fechamento controláveis, denominados espiráculos.
A excreção é realizada por um sistema organizado e exclusivo do grupo, denominado túbulos de Malpighi que são finas estruturas que drenam para o intestino.
Quanto ao desenvolvimento, os insetos podem ser:

 
CRUSTÁCEOS
O corpo dos crustáceos é composto por um cefalotórax (fusão da cabeça com o tórax)
Apresentam dois pares de antenas na região cefálica, cinco pares de patas, e um abdome
A maioria é aquática, sistema digestório é completo
O sistema circulatório dos crustáceos é aberto ou lacunar, formado por um coração dorsal,
O sistema respiratório é branquial e o sistema excretor é composto por células diferenciadas
Glândulas verdes, troca do exoesqueleto por outro maior.
Assim, caracteriza-se um período de muda. Há também o período de pós-muda, quando o animal absorve grande quantidade de água, aumentando de tamanho até a formação do novo exoesqueleto.
 
Aracnídeos
Os aracnídeos têm corpo dividido em cefalotórax e abdome; apresentam quatro pares de patas, um par de quelíceras (injetoras de veneno) e um par de palpos sensoriais na região cefálica.
Possuem sistema digestório completo e apresentam glândulas anexas denominadas hepatopâncreas.
O sistema circulatório é aberto e se relaciona com o sistema respiratório, que é traqueal e filotraqueal ou pulmonar foliáceo. A excreção é realizada por estruturas localizadas no interior do
cefalotórax, denominadas glândulas coxais, além dos túbulos de Malpighi.
 
EQUINODERMOS
São animais exclusivamente marinhos; apresentam espinhos na pele, esqueleto interno de natureza calcária, simetria radial; são celomados, deuterostômios.
O sistema ambulacral é responsável pelas trocas gasosas, pela locomoção, excreção e captura do alimento.
Possuem grande capacidade de regeneração e sua reprodução é sexuada.
 
VERTEBRADOS
Cordados: Protocordados e Vertebrados
Os animais pertencentes a esse filo possuem um eixo dorsal de sustentação (notocorda ou coluna vertebral), um sistema respiratório derivado da faringe, um sistema nervoso tubular, oco e dorsal e uma região pós-anal, a cauda.
Esse filo é dividido em subfilos, os quais veremos a seguir:
Subfilo Cephalochordata: representado pelo anfioxo, tem a notocorda como estrutura de sustentação, fendas branquiais, realizam trocas gasosas. Possui sistema circulatório aberto.
O sistema nervoso compreende um tubo neural com uma dilatação anterior, a vesícula encefálica.
Possuem sexos separados e os gametas são liberados na água, onde ocorre a fecundação. O desenvolvimento desses animais é indireto.
Subfilo Urochordata: representado pelas ascídias, vivem presos a pedras em águas rasas.
O indivíduo adulto possui duas aberturas, por uma delas. há entrada de água e alimento, pela outra há saída de resíduos e gametas.
Possui um coração que envia sangue à faringe, para que ocorram trocas gasosas nas fendas branquiais, e também para as vísceras. O sistema nervoso é composto de um gânglio cerebral que envia ramificações nervosas para o corpo.
Os vertebrados podem reproduzir-se assexuadamente, por brotamento, ou sexuadamente, com a liberação de gametas masculinos e femininos na água. O desenvolvimento também é indireto.
Subfilo Vertebrata: possuem notocorda na fase embrionária substituída por uma coluna vertebral cartilaginosa ou óssea. O tubo neural é protegido pelas vértebras e, na região anterior desse tubo, há a formação do encéfalo. O esqueleto interno dos vertebrados é constituído de cartilagem ou osso vivo.
Podem ser considerados homeotérmicos, como as aves e os mamíferos, que conseguem manter constante a temperatura do seu corpo ou pecilotérmicos, englobando os animais que não possuem mecanismos fisiológicos para regular a temperatura.
Podemos classificar os animais como: endotérmicos e ectotérmicos.
 
Peixes
São aquáticos e apresentam o corpo fusiforme.
A respiração é branquial e o sistema circulatório fechado.
Os peixes dividem-se em dois grupos principais:

 
Anfíbios
Apresentam cintura escapular e pélvica, onde se articulam os membros anteriores e posteriores. Têm respiração pulmonar e cutânea.
A reprodução é sexuada, na maioria, com fecundação externa.
O coração possui três cavidades: duas aurículas e um ventrículo. Eles desenvolvem seu ciclo de vida em dois ambientes diferentes. A primeira fase é aquática.
Na metamorfose total da larva, o adulto geralmente abandona o ambiente aquático e passa a ocupar o ambiente terrestre, adquirindo quatro patas.
Os anfíbios dependem da água para completar seu ciclo reprodutivo.
 
Répteis
Possuem quatro membros (tetrápodes), corpo recoberto por escamas ou placas córneas, pele seca sem glândulas mucosas, respiração pulmonar e possuem cloaca.
O coração é composto por três cavidades: duas aurículas e um ventrículo e há mistura de sangue arterial e venoso, no nível da aorta.
Têm endoesqueleto ósseo. A reprodução é sexuada, por fecundação interna. Em geral, são ovíparos, de desenvolvimento direto e pecilotermos.
Os principais representantes dos répteis são as cobras, as tartarugas, os lagartos e os crocodilos.
 
Aves
Têm corpo recoberto por penas, membros anteriores modificados em asas, bico córneo e placas córneas recobrindo as patas, respiração pulmonar e desenvolvimento direto. A reprodução é sexuada por fecundação interna e são ovíparos.
O coração apresenta quatro cavidades e não há mistura de sangue arterial e venoso. São homeotérmicos e possuem alto grau de desenvolvimento cerebral.
 
Mamíferos
Possuem corpo coberto por pelos; têm glândulas mamárias, glândulas (sebáceas, sudoríparas, odoríferas em alguns) e coluna vertebral.
O coração é composto por quatro cavidades: duas aurículas e dois ventrículos, respiração é pulmonar. Os animais são homeotermos. A reprodução é sexuada.
Os principais grupos de mamíferos são os marsupiais e os placentários.
Ocupam os ambientes terrestre, aquático e aéreo. Têm capacidade de adaptação individual, decorrente de seu alto grau de desenvolvimento cerebral.