Os vírus não estão incluídos em nenhum dos reinos descritos anteriormente. São considerados fragmentos ou partículas que só se manifestam quando parasitam células vivas.
São considerados seres vivos, embora não apresentem organização celular e só se reproduzam quando estão dentro de uma célula hospedeira.
 
ESTRUTURA DOS VÍRUS
Os vírus são formados basicamente por um envoltório ou cápsula proteica, que abriga o material genético, que pode ser DNA ou RNA.
Os vírus são extremamente pequenos, sendo visíveis apenas no microscópio eletrônico.
Reprodução dos vírus
O vírus adere à célula-alvo e introduz seu material no citoplasma da célula-alvo. O ácido se multiplica e forma novas cápsulas proteicas. O material genético viral multiplicado é então encapsulado e a célula-alvo destruída, liberando para o meio os vírus formados.
Vírus bacteriófagos
Um tipo muito especial de vírus.
Eles são inofensivos aos animais superiores, mas são, ao contrário, terríveis destruidores de certas cepas bacterianas.
Doenças causadas por vírus
Um só vírus pode provocar várias manifestações clínicas e uma única doença pode ser causada por mais de um vírus.

É frequente em crianças. Sua profilaxia é feita por vacinação. A caxumba imuniza permanentemente.
Poliomielite: doença muito grave, comum em crianças menores de dois anos. Sua profilaxia é feita pela vacina Sabin.
Rubéola: virose benigna que ataca principalmente crianças, provocando inchaço dos gânglios linfáticos do pescoço e manchas na pele, é transmitida por gotículas de saliva. A sua profilaxia é feita por vacinação.
Sarampo: virose grave e altamente contagiosa, ataca principalmente crianças de até 10 anos.
A vacina contra o sarampo imuniza de modo permanente.
Catapora ou varicela: virose leve, transmitida pelo contato direto com pessoas infectadas ou através de gotículas de saliva.
Raiva ou hidrofobia: virose que ataca o sistema nervoso, quase sempre fatal se não for tratada imediatamente. É transmitida pela saliva ou mordida de um animal infectado.
Febre amarela: virose transmitida de pessoa a pessoa pelo mosquito Aedes aegypti. A vacinação antes de se entrar em regiões endêmicas é indispensável para evitar a contaminação.
Hepatite viral: é uma virose que ataca o fígado. O vírus da hepatite passa das fezes da pessoa contaminada para a boca do indivíduo por alimentos e objetos contaminados. A prevenção consiste na higiene pessoal e no isolamento do doente.
Dengue: virose causada pela picada do Aedes aegypti. Pode ser benigna ou hemorrágica.
A prevenção se faz com o combate ao mosquito e às suas larvas, evitando manter água parada em vasos, latas, pneus e outros recipientes.
Gripe: doença sistêmica, pois provoca mal-estar generalizado em todo o organismo.
Atinge principalmente as vias aéreas superiores. A transmissão ocorre por meio das gotículas eliminadas pelas vias respiratórias e pela boca.
Aids: trata-se de uma doença causada por um vírus, o HIV, que ataca células do sistema de defesa do organismo humano, chamadas linfócitos T. Essas células são muito importantes para a defesa do organismo. O organismo do doente com Aids não tem como reagir ao ataque de agentes infecciosos.
As complicações surgem porque o organismo é assaltado por agentes infecciosos, alguns deles quase inofensivos em condições normais, mas pelo fato de o organismo estar sem defesa, causam sérias infecções e podem ser causa de morte em aidéticos. A Aids é transmitida de uma pessoa a outra pelo sêmen, pelos fluidos vaginais ou pelo sangue.
A transmissão pelo sêmen explica-se pelo fato de que o HIV, após se reproduzir dentro dos linfócitos sanguíneos, espalha-se pelo sangue, concentrando-se no esperma e nos líquidos vaginais.
A transmissão pelo sêmen se dá durante as relações sexuais, principalmente, quando há ferimentos nos genitais, facilitando a penetração do vírus na corrente sanguínea. Esse fato faz da relação anal a mais perigosa, porque no ânus o tecido é mais delicado e as mucosas ferem-se com maior facilidade.
As possibilidades de passagem do vírus de uma pessoa para outra durante uma relação sexual são as seguintes:

Um grande perigo está no uso de seringas e agulhas não descartáveis, pois, com esse material, o HIV pode passar do sangue de uma pessoa ao de outra.
Há muitas maneiras de se prevenir o contágio pelo vírus da Aids, tais como: evitar a ultiplicidade de parceiros sexuais, não praticar sexo com desconhecidos e nunca sem camisinha!
É importante que os doadores de sangue sejam selecionados e que pessoas infectadas não doem sangue.