Pequenas faíscas de eletricidade são fenômenos eletrostáticos ocasionados por cargas elétricas em repouso. As cargas elétricas são a evidência do caráter elétrico que a matéria possui. Existem dois tipos de cargas elétricas:

Podemos dizer que um corpo está eletrizado positivamente, eletrizado negativamente ou eletricamente neutro.
 
Lei de Dufay
As cargas elétricas de mesmo sinal se repelem e as cargas elétricas de sinais contrários se atraem.
“A soma algébrica das cargas positivas e negativas é constante num sistema isolado eletricamente, podendo haver troca de cargas entre os corpos. ”
Existem três tipos de processo de eletrização: por atrito, contato ou indução.
 
ATRITO
Os corpos atritados ficam eletrizados com cargas elétricas de sinais contrários, mas sempre com mesmo valor absoluto.
 
CONTATO
Se colocarmos em contato dois condutores, um eletricamente negativo e outro eletricamente neutro, este último se tornará negativo.
 
INDUÇÃO 
Na eletrização por indução, o induzido eletriza-se com carga de sinal contrário à do indutor. Já na região mais afastada, ficam os excessos de cargas positivas. Esse fenômeno é denominado indução eletrostática.
 
FIO TERRA
É usado para o escoamento das cargas elétricas em excesso para a terra.
 
ELETROSCÓPIOS
Existe um dispositivo utilizado para indicar se um corpo está ou não carregado eletricamente. Esse dispositivo chama-se eletroscópio.
 
 ELETRICIDADE ATMOSFÉRICA
Quanto mais alta, mais eletrizada é a atmosfera.
As partículas positivas, que são mais pesadas, são separadas facilmente das partículas negativas, que são mais leves. Tal separação forma nuvens positivas e negativas, surgindo entre elas uma forte atração.
Quando as nuvens que estão se atraindo estão a uma certa distância, a isolação do ar é rompida e uma descarga elétrica ocorre entre as nuvens. A essa descarga elétrica chamamos de raio; seu efeito luminoso é o relâmpago e o efeito sonoro, o estrondo, que é o trovão.