As soluções
Solução é qualquer mistura homogênea. Quando misturamos duas espécies químicas, pode ocorrer uma dispersão, ou seja, a distribuição de uma substância, em toda a extensão de uma outra substância, sob a forma de pequenas partículas. Na dispersão, a espécie química distribuída sob a forma de pequenas partículas é denominada disperso, e a outra espécie química é denominada dispergente.
De acordo com o tamanho das partículas dispersas, as dispersões classificam-se em soluções, dispersões coloidais e suspensões.
Numa solução, o disperso é chamado soluto e o dispergente, solvente.
 
Classificação das soluções
Critérios para classificar as soluções:

 
ESTADO FÍSICO
As soluções podem ser sólidas, líquidas ou gasosas.
 
Solução sólida:
Soluto – pode ser sólido, líquido ou gasoso.
Solvente – sempre sólido.
 
Solução líquida:
Soluto – pode ser sólido, líquido ou gasoso.
Solvente – sempre líquido.
 
Solução gasosa:
Soluto – é um gás.
Solvente – é um gás.
 
CONDUTIVIDADE ELÉTRICA
Soluções moleculares – não conduzem corrente elétrica.
Soluções iônicas – conduzem corrente elétrica.
 
PROPORÇÃO ENTRE O SOLUTO E O SOLVENTE
Dependendo da quantidade de soluto em relação à quantidade de solvente, as soluções podem ser diluídas, concentradas, saturadas e supersaturadas.
 
COEFICIENTE DE SOLUBILIDADE (CS) 
Coeficiente de solubilidade (Cs) é a máxima quantidade de soluto capaz de se dissolver totalmente numa quantidade padrão do solvente, a uma determinada temperatura.
A variação do coeficiente de solubilidade de uma substância em função da temperatura pode ser dada graficamente, na qual a curva formada é denominada Curva de Solubilidade.
 
CONCENTRAÇÕES DAS SOLUÇÕES
A concentração de uma solução é a relação entre a quantidade de soluto e a quantidade de solvente, ou ainda, a relação entre a quantidade de soluto e a quantidade de solução. Usaremos a seguinte convenção:

 
CONCENTRAÇÃO COMUM (C)
A concentração comum (C) indica a quantidade em massa de soluto (m1) que se encontra dissolvido em um volume de solução (V). A relação entre a massa da solução e o respectivo volume é denominada densidade.
 
TÍTULO EM MASSA (τ)
Título em massa (τ) indica a relação entre a quantidade de massa de soluto (ml) e a massa da solução (m). Como essa razão é um número puro e menor que um, podemos expressar o título em porcentagem.
 
TÍTULO EM MASSA (τ)
Título em massa (τ) indica a relação entre a quantidade de massa de soluto (ml) e a massa da solução (m). Como essa razão é um número puro e menor que um, podemos expressar o título em porcentagem. Só é usado para concentração de soluções nas quais os componentes são todos gasosos ou todos líquidos.
 
FRAÇÃO MOLAR (X)
Fração molar do soluto (x1) é a relação entre o número de moles do soluto (n1) e o número de moles da solução (n).
 
MOLALIDADE (W)
Molalidade (W) é a relação entre o número de moles de soluto (n1) e a massa do solvente em quilogramas (kg).
 
MOLARIDADE (m)
Molaridade (m) é a relação entre o número de moles de soluto (n1) e o volume da solução (V) em litros.
 
EQUIVALENTE-GRAMA
 
Equivalente-grama de um ácido (EA)
É a massa em gramas do ácido, que por ionização total fornece um mol de íons H+.
 
Equivalente-grama de uma base (EB)
É a massa em gramas da base que por ionização total fornece um mol de íons OH-.
 
Equivalente-grama de um sal (Es )
É a massa do sal, em gramas, formada pela reação de um equivalente-grama de um ácido com um equivalente-grama de uma base.
 
Conversão de concentrações
Podemos relacionar concentração, título, molaridade e normalidade de uma solução numa única expressão.
 
A DILUIÇÃO DE UMA SOLUÇÃO
A diluição é um processo que implica a diminuição da concentração de uma solução. Para a concentração diminuir, devemos adicionar solvente a essa solução. Nas duas soluções, antes e depois da adição de solvente, a massa de soluto é a mesma.
 
MISTURA DE SOLUÇÕES
Quando misturamos duas ou mais soluções, podemos ter:

  1. A) Mistura de soluções que apresentam o mesmo soluto e o mesmo solvente;
  2. B) Mistura de soluções que apresentam solutos diferentes, que não reagem entre si e o mesmo solvente; e
  3. C) Mistura de soluções que apresentam solutos diferentes que reagem entre si e o mesmo solvente.

 
TITULAÇÃO
A titulação preocupa-se em estabelecer a dosagem das soluções, ou seja, determinar a normalidade de uma solução. Usa-se o princípio da equivalência, ou seja, o número de equivalentes-grama do soluto na solução de normalidade desconhecida é igual ao número de equivalentes-grama do soluto na solução de normalidade conhecida.
Medimos o volume da solução de normalidade desconhecida utilizando-se de uma pipeta ou de uma bureta.
Esse volume medido é transferido para um Erlenmeyer colocando-se gotas de um indicador.